HOME APOSTILAS CONCURSOS CURSOS PREPARATÓRIOS SALA DE ESTUDOS
  

 

COMO ESTUDAR PARA CONCURSOS

  

  

AS CONDIÇÕES FÍSICAS
DO CANDIDATO


As condições físicas individuais influem bastante no estudo sendo um fator importante para o seu desempenho. Estudos comprovam que a capacidade de absorção de informações e a sua memorização podem variar sensivelmente em decorrência das condições físicas em que se encontra um indivíduo.

Como Funciona a Memória?

Possuímos duas memórias: a memória de curto prazo e a memória de longo prazo. A memória de curto prazo é aquela que utilizamos para tarefas corriqueiras do dia-a-dia e logo em seguida são esquecidas. Exemplo disso são os números de telefone, que vão para o espaço assim que você acaba de discá-los. Para que você possa acionar um dado uma ou duas semanas depois de tê-lo captado, é preciso convertê-lo em memória de longo prazo. Esse trabalho fica a cargo do hipocampo.

Assim que as cenas, os sons, os cheiros etc. são integrados aos circuitos do cérebro, o hipocampo descansa e entra em cena o lobo frontal, estrutura responsável pelo processo de recordação. É ele que traz à tona todas as informações que foram devidamente estocadas. No lobo frontal, que é tão complexo quanto frágil, a memória de curto prazo e a de longo prazo se completam para formar aquilo que chamamos de raciocínio.

A Falta de Memória

A falta de memória pode ser causada pelo estado de fadiga por conseqüência do excesso de informações e também pela depressão, pela ansiedade e pelo estresse. Uma pessoa com tendência ao baixo-astral, por exemplo, acaba se preocupando mais com o que a está aborrecendo do que com os outros aspectos da vida. Um ansioso tem muita dificuldade para se deter por muito tempo no mesmo assunto. O estresse, além de atrapalhar a concentração, pode interferir de outras maneiras. Suspeita-se que ele encolha o hipocampo e libere hormônios que danificam as moléculas transportadoras de energia, deixando o cérebro sem força suficiente para operar.

Alimentação e Atividades Físicas

A prática de exercícios físicos aeróbicos (levantar pesos, ou outra atividade anaeróbica, não ajuda em nada) é um dos meios mais garantidos de manter uma boa memória. “Eles ativam a circulação do sangue, reduzem o estresse e a ansiedade”.

Uma dieta balanceada, com refeições na hora certa, também contribui. Quem costuma estudar logo cedo sem tomar o café da manhã, corre o risco de ter uma memória menos ativa até a hora do almoço.

O Descanso

O sono é um fator muito importante para o aprendizado. Segundo o neurologista Robert Stickgold, da Universidade de Harvard, os dados acumulados durante o dia são armazenados durante o repouso.

Durante o período noturno de repouso, o conhecimento adquirido no decorrer do dia é revisto pelo cérebro e armazenado na forma de memória permanente. Portanto, só aprende quem dorme bem. A boa aula deve ter 6 horas de sono por dia, no mínimo. Esse é um dos motivos pelos quais os recém-nascidos dormem quase o dia inteiro _ eles têm muito que aprender.

O sono tem diferentes fases e é preciso que elas se repitam várias vezes para que o armazenamento de dados pelo cérebro seja bem-feito. Assim, alguém que dorme 10 horas tem sua habilidade de fixar informações quase dobrada. Da mesma forma, acordar antes de completar 6 horas pode fazer com que se perca tudo o que estava sendo gravado e aprendido até aquele momento.

O Lazer

O estudo incessante e desesperado pode prejudicar o candidato. Continue a ter horas de lazer. O candidato deve saber dosar o estudo. De nada adianta estudar doze horas por dia se a compreensão é mínima. Procure estudar o máximo que puder, mas com proveito. O tempo varia de pessoa para pessoa. A preparação para concursos requer que você esteja em bom estado emocional, repousado e no auge de suas condições físicas e mentais.
 
 

© 2000-2017 CMP - Concursos Jurídicos
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.